Linguagens de programação surgem todos os anos, assim como frameworks e/ou bibliotecas. Não é novidade que o mundo da programação cresce num ritmo acelerado. Confira a lista:

O objetivo de aprender novas linguagens de programação não é apenas de colocar em seu currículo. O maior benefício do aprendizado é abrir a mente e criar novas maneiras de enxergar e interpretar problemas.

Ruby

Ruby não é uma das linguagens de programação em alta no mercado. Java, Javascript e Python já estão no outro lado, em alta. A tecnologia foi planejada e desenvolvida por Yukihiro Matsumoto, em 1995 no Japão.

Originalmente criada com o objetivo de ser usada como linguagem de script. Ou seja, sistemas de automatização de tarefas. É comum vermos a confusão entre Ruby e Ruby on Rails, mas na verdade, são coisas distintas. A primeira é uma linguagem propriamente dita, já a segunda, um framework.

Um de seus pontos positivo é seu ambiente incrível para aprender OOP. Uma vez que, ela foi projetada para adotar a programação orientada a objetos.

Outro recursos é a metaprogramação. Resumida em, um código, o qual consegue raciocinar e gerar outro código. Um pouco filosófico, né? Muitas vezes manipular programas via “metaprogramming” é um grande desafio. Recomendo vá a fundo no assunto.

Leituras complementares:

Elixir

A linguagem é bem recente, de 2012. Diferente de Ruby, Elixir é uma das linguagens de programação voltada para o funcional. Considere como ponto positivo.

Outra característica é sua forte relação com Erlang. Podendo ser rodado no Erlang VM (BEAM). Dessa maneira, codar Elixir significa aprender a pensar simultaneamente, uma habilidade que pode ser aplicada em uma infinidade de ambientes de programação.

Por último, mas não menos importante, – talvez a mais importante – é o pattern matching. Correspondência de padrões é um recurso muito poderoso de linguagem funcional. Portanto, é possível interagir com dados de maneira concisa e segura.

Leituras complementares:

5 linguagens de programação para aprender
As melhores oportunidades no mercado de TI.

Rust

Além de ser a linguagem mais amada dos programadores, com Rust é possível ter mais controle e performance. Além de ser rápida e compilada, traz ideias novas.

A linguagem é destinada a resolver problemas de segurança de memória. É possível também escrever códigos de baixo nível, os quais interagem diretamente com o hardware.

Outra forte caraterística é macros. Macros são formas de metaprogramação, as quais permitem escrever menos código e ser menos específico. Este recurso ajuda a desenvolver uma perspectiva diferente de metaprogramming visto em Ruby.

Leituras complementares:

TypeScript

Você considerar que a tecnologia não é uma linguagem e sim um complemento de outra linguagem. Eu te entendo, mas há pontos interessantes sobre o TypeScript. Vem comigo:

Desenvolvida pela Microsft, TypeScript resolve alguns problemas que encontramos com Javascript, código em larga escala, por exemplo. Além de adicionar recursos ao JS.

Quando falamos de TypeScript não podemos esquecer da “static typing”, presente em algumas linguagens de programação. Com isso, é possível aprofundar sua compreensão do ecossistema Javascript, fornecendo uma visão do futuro promissor de JS.

Leituras complementares:

Haskell

Haskell pode ser a linguagem mais desconhecida desta lista. Desenvolvida em 1990, carrega em seu nome o lógico Haskell Curry, como homenagem. A tecnologia é puramente funcional.

Por esse motivo, trabalhar com uma linguagem puramente funcional força a você desenvolvedor uma abordagem totalmente diferente com dados. Isso porque é utilizado a compreensão do cálculo lambda, importante para toda “function language”.

A comunidade de Haskell comenta seu foco na solução de problemas matemáticos, clareza e fácil manutenção do código. Um dos conceitos mais desafiadores é Monad, a qual permite que desenvolvedores evitem excesso e agrupamento de códigos.

A própria documentação define Monad como “uma estratégia para combinar cálculos para produzir cálculos mais complexos”.

Leituras complementares:

Conclusão

Como disse no início do artigo, o objetivo principal não é aumentar seu CV (falando nisso, você já sabe como montar seu currículo de programador?). As linguagens de programação permitem que você enxergue novos horizontes e se torne um(a) desenvolvedor(a) completo e criativo.

<edit>
O Lucas De Lavra comentou um ponto muito importante e interessante no LinkedIn. Ressalto que a ideia do conteúdo é apresentar features específicas das linguagens de programação com o objetivo de encarar os problemas do dia-a-dia com outra visão, mais completa e criativa. Importante também, tomar cuidado para não sair do seu foco.
</edit>

Espero que tenha gostado do conteúdo. Não se esqueça de utilizar o campo dos comentários caso tenha feedback e/ou sugestão 🙂

PROGRAMATHOR

Consiga um emprego!

Está buscando novas oportunidades como desenvolvedor?  Acesse a ProgramaThor, uma startup focada no recrutamento de desenvolvedores. Para se candidatar às vagas para programador e receber notificações em casos de matching, basta se cadastrar e completar seu perfil corretamente.

VAGAS PARA PROGRAMADORES

Este artigo é inspirado no texto da Dev.to

Compartilhar

Sobre o autor

Guilherme Luis
Guilherme Luis
Estudante de Administração de empresas, transformo ideias em palavras. Fascinado por marketing e criações.